1.2.18

Garota Ideal


   Um novo ano se iniciou cheio de metas e promessas. Entre uma delas, tinha você. Na verdade, em cada uma delas eu pensei como você reagiria, o que iria concordar e o que iria criticar (sempre foi o seu forte). 
   De vez em quando, eu escuto aquela música que você dizia que lembrava de mim. Eu me esforcei pra traduzir a letra e gravar os versos pra um dia quem sabe cantarolar com você e te surpreendesse com o meu esforço. Eu realmente me esforçava para te agradar, pra fazer você gostar mais de mim, e principalmente, pra me encaixar dentro do seu padrão do que seria uma garota ideal. 
   Enquanto movia montes e montanhas para entrar dentro da sua forma, não me conta que se você me amasse de verdade enxergaria o quão incrível eu sou do jeito mais simples e sincero. Você enxergaria a beleza dos meus cabelos coloridos desbotados pelo simples fato da minha coragem de pintá los de uma cor que me faz feliz sem me importar com os olhares dos outros no metrô,mas você sempre dizia que eles eram mais bonitos natural, e eu acabava optando por uma cor que não chamasse tanta atenção.
    Quando mais você descobria sobre mim, mais desinteressante eu parecia pra você. Coloquei seus interesses em primeiro lugar e deixei pra lá quem mais importava, eu mesma. Eu achava que te amando mais que a mim seria a maior prova de amor que existia, mas na verdade era o meu próprio precipício. Eu não me reconhecia mais no espelho e não demorava muito diante dele. Vivia na sombra de alguém que não me queria tão perto assim.
   Hoje eu ainda estou me acostumando em ser a minha própria protagonista mesmo que carregue você na minha playlist, no filme da tv e nas palavras que escrevo. Hoje tudo o que faço é por mim, mesmo que ainda carregue um pouco de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Paris de Priscila 2016 © Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento por Moonly Design | Imagens Cabeçalho por Freepik