2.1.14

Ei Amor

2012

     Ei Amor, me diz como seguir. Diga o que eu posso fazer pra recuperar a felicidade e o brilho no olhar. Diga a mim porque as estrelas são tão atraentes. Diga o que eu posso fazer quando ficar triste se você não está mais aqui para me alegrar. Vai Ensina a mim como rir até a barriga doer sem as tuas piadas toscas.

            Ei amor, me cura com teu abraço desta dor que invade minha cabeça, meu coração, meu corpo todo.  Como uma criança mimada, quero colo e toda a sua atenção pra mim. Quero ter você comigo esta tarde e amanhã também. Tudo está se desmoronando e eu não consigo me erguer sozinha. Estou tomada por uma hemorragia interna, culpa desta ferida que insiste em crescer.

            Ei amor, minha rotina não é nada sem você. Vivendo nesta casa vazia e nada aconchegante não é fácil. Cada partezinha é uma lembrança tua. O sofá me abraçou o dia inteiro. Abandonei meus hobbies, meu emprego, meus livros, meus amigos. Abandonei-me. 


      Ei amor, meus dias estão sendo tão incompletos. É horrível te amar em um dia e te perder no outro. Sem mais nem menos. Sem pelo menos um adeus. Sem ouvir seu eu te amo pela última vez. Ainda sinto seu cheiro. E o som da sua voz ainda presente em minha mente me faz chorar. Você se foi, mas quem deixou de existir foi eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Paris de Priscila 2016 © Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento por Moonly Design | Imagens Cabeçalho por Freepik