28.12.13

Depois eu não sei

         

         
   E eu com esta minha mania de planejar o futuro, já imagino o vai acontecer com nós. Eu sei que vou sentir sua falta. Talvez não devesse, mas da maneira mais incerta você é uma lembrança boa.
            Hoje, eu percebi que estes nossos momentos estão muito próximos de se tornar passado. E isso já me assustou. Eu realmente, já quis que nunca terminasse. Temi. Quis bis. Já foi. Passou. Agora eu sei que vivemos de fases. As boas são para deixar saudade e as ruins para nos ensinar. E as pessoas? Bem, de uma forma ou de outra irão ajudar a nos construir, desde aquela que você viu só uma vez e aquela que você passou anos.
            E com você eu não quero repetir a dose, mas não se sinta culpado. Assim será melhor. Talvez, a gente se encontre por ai, numa dessas ruas qualquer. E não te cobrarei reconhecimento, assim como hoje, eu não te cobro amor. Agradeço demais, por você fazer o mesmo.
            O real é que não sou o melhor pra você. Não é uma desculpa. Não é modéstia a minha parte. Muito menos, drama, até porque eu reconheço isso. Estou em fase de construção, sendo assim, há muitos defeitos a ser consertados, do modo e na hora certa. Não vamos adiar os ponteiros, é melhor deixar fluir. Mesmo que acabe aqui, agora. Nunca se sabe o dia de amanhã.

2 comentários:

  1. Me identifiquei muito com esse texto, sei lá, até me deu vontade de escrever também haha

    Beijão :*

    ResponderExcluir

Paris de Priscila 2016 © Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento por Moonly Design | Imagens Cabeçalho por Freepik