7.11.13

Amor, Lágrimas a Parte

.


            Quando começamos um relacionamento nunca paramos para pensar no possível fim, principalmente quando nos sentimos a pessoa mais feliz que existe.
            Borboletas no estômago é resultado de um sorriso encantador somado a três palavras bestas. Um pouco depois, começam os pequenos desentendimentos, vem às primeiras brigas, muitas vezes por coisas insignificantes que logo são resolvidas, afinal vocês se amam. Uma risada, um beijo e um longo abraço, você está com um sorriso bobo de novo.
            Domingos tediosos não existem mais. Nada que uma tarde chuvosa com direito a filme, pipoca e a melhor companhia não resolva.
            Você sai com as amigas e ele vai a festas. Quem é essa garota na foto? Será que passaram a festa toda juntos? Pode ser apenas uma foto momentânea, ela deve ser só uma coleguinha bonitinha. Não enlouqueça, não enlouqueça.
            Não adianta, o ciúme está batendo na porta, afinal você não quer perder sua maior preciosidade. Ele pergunta o que está te incomodando. Nervos á flor da pele, lágrimas e algo como faltam de confiança é gritado. Vocês conversam e resolvem deixar pra lá.
            A cada mês, as brigas crescem e demoram mais a acabar. Vocês não têm tanto em comum, mas nunca se importaram com isso, afinal os opostos se atraem certo?
            Você não imagina sua vida sem ele, mas também evita as ligações tão freqüentes. Ele vai a festas e nem faz questão de avisar muito menos de convidar.
            Sábado à noite, você programa um jantar surpresa, quer muito que tudo volte a ser como antes. Uma garota atende o celular. Você sente um nó na garganta e uma dor no coração, um sintoma que algo vai mudar que mudou.
            Domingo nublado e fechado. Olheiras viraram rotina no lugar do sorriso mais sincero. Alguém bate a porta. Você sabe quem é. Antes que você comece a ficar furiosa e pedir explicação, percebe que ele está nervoso e frio. Talvez um abraço, contorne a situação. Ele recusou.
            Pelo mesmo lugar que saia te amo até depois do fim, saiu o que você mais temia. No fundo, sabia que tinha acabado, mas não queria admitir. O amor não chegou ao fim, ele se transformou.

            Nesse momento, tudo o que mais queria era voltar no tempo, para consertar tudo, mas não sabia ao certo onde tinha errado. Ele não era o culpado também. Nós não comandamos os nossos sentimentos, apenas o sentimos intensamente.

4 comentários:

  1. Linda, cada vez mais você escreve perfeito! <3
    Beijos, <3 suceeeeeesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha princesa!!!!
      Sucesso em dobro pra você <3

      Excluir
  2. Como faz pra escrever igual a você , Pri?? Acho que tô precisando de umas aulas...
    Sandrinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwn Sandrinha que isso!
      Muito obrigada mesmo, viu?!
      <3 <3 <3

      Excluir

Paris de Priscila 2016 © Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento por Moonly Design | Imagens Cabeçalho por Freepik