3.7.17

É você


   Esbarrei meus olhos no castanho dos seus. Reparei  n constelação de pequenas pintinhas que você esqueceu que tinha. As borboletas faziam uma festa no meu estômago quando fingi esbarrar minha mão na sua.  Sua risada completa a minha. Os seus planos se tornaram meus também, mesmo que eu nunca tenha te dito isso. 
   Eu poderia descrever mil dos nossos detalhes, mas não é preciso, pois o melhor  é que tudo ainda existe. Desde o nosso primeiro esbarro. Ser desastrado é algo que compartilhamos em comum, já que preferimos dividir jeitos e manias em comum do que objetos  Somos nossas memórias e nossos planos e fazemos de um simples momentos sempre especial.
   Ao despertar meu pensamento vai de encontro à você e meu coração bate melhor quando encosta no seu. Dizem que amor é pura invenção moderna, mas é porque eles viram como seus olhos se espremem e seu sorriso toma conta do seu rosto todo quando você dar uma risada. 
   A minha felicidade está no entrelaço das nossas mãos, dos nossos braços, bocas e corações. E eu quero que seja sempre assim, porque eu sinto que é você. Eu sei que é você. Você se tornou parte de mim. E melhor do que sonhar, é viver com você. Não quero perder um segundo sem você, então porque não me deixe dormir.

20.2.17

[Resenha] Eu estive aqui - Gayle Forman



Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?"


 "Eu estive aqui" tem como personagem Cody, que desde criança é melhor amiga de Meg, elas são como unha e carne, elas moram em uma cidadezinha do interior e fazem muitos planos, inclusive o de estudar juntas em Washington, porém Meg acaba ganhando uma bolsa em uma prestigiada faculdade em Tacoma e consequentemente elas acabam se afastando um pouco.

 Meg chamava atenção pela sua beleza, inteligência, simpatia e Cody sempre a via com grande admiração, e isso incluia sua família. Meg tinha um irmão mais novo,  pais maravilhosos que tratam a Cody como filha deles e, ás vezes, parecia mais pais dela do que a sua própria mãe, Tricia, que passa seus dias trabalhando em um bar para sustentá-las.

 Tudo parece ir bem até que Cody recebe um e-mail surpreendente:

"Sinto informar que precisei dar fim a minha própria vida. Estou adiando esta decisão há muito tempo e ela é minha e de mais ninguém. Sei que isso lhe causará sofrimento, e lamento que seja assim, mas saiba que eu precisava acabar com a minha dor. Não tem nada a ver com você, mas tudo a ver comigo, Não é culpa sua."
                                              Meg

 Cody se ver perdida. Como sua melhor amiga toma a decisão de tirar a sua própria vida e ela não percebeu os sinais? Será existe mais acontecimentos que Meg não a contou? Será que poderia ter evitado que ela se suicidasse?

 Os pais de Meg ainda muito abalados, pede a Cody para que ela vá até Tacoma buscar as coisas da filha. Quando ela abre o notebook de Meg percebe que há um arquivo criptografado, extremamente muito dificil de abrir. Além de e-mails com um tal de Ben Mc Callister, porém os emails recentes oram apagados. Será que alguém a ajudou a tomar essa decisão? Será que há outro responsável pela morte de Meg?

O mistério que ronda a história te faz ser amiga de Cody e sentir toda a sua aflição. Achei o tema ótimo para ser centralizado, já que não vejo muitos livros sobre o assunto. Embora eu ache que o assunto poderia ser um pouco mais aprofundado, a narrativa é muito boa e estou torcendo muito para que vire filme.  

Espero que tenha gostado da resenha! Até o próximo post! 

30.1.17

Minha saudade preferida


   Eu só queria te dizer que ainda guardo sua camisa na gaveta, nossas fotos no celular e faço chocolate quente quando me sinto sozinha. Troquei a cor do cabelo, mas o meu batom preferido eu nunca mudei.  Eu acho que ficaria orgulhoso em saber que não espero mais pelos meus sonhos, estou os realizando. Ouço a sua risada quando imagino te contar sobre os caras patéticos que não sabem nada sobre os meus (nossos) filmes preferidos e isso lacrimeja meus olhos nos dias frios.
   É do seu nome que eu lembro quando leio a palavra "saudade". É o seu cheiro que sinto nas horas mais inconvenientes. Eu sinto vontade de te procurar no meio da noite só pra te contar os meus planos que não deram tão certo e as coisas boas que estão acontecendo também. 
   Você seguiu a diante, mas ficou sua risada, sua voz e sua mania de abaixar os olhos quando está nervoso. Você foi a minha saudade preferida  e por mais eu não espero mais uma mensagem sua de madrugada, eu sei a vida se encarregará de esbarrar o castanho dos nossos olhos. E quando isso acontecer, por favor, divida seus braços comigo, me dê um sorriso e nunca mais solta da minha mão. Os nossos planos eu ainda guardo no meu coração.


Paris de Priscila 2016 © Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento por Moonly Design | Imagens Cabeçalho por Freepik